6 dicas para conseguir o crédito à habitação!

Se deseja adquirir uma casa e precisa de financiamento bancário, é essencial estar ciente dos requisitos necessários para convencer a instituição bancária de que tem as condições adequadas para obter um empréstimo à habitação.

 

O processo de crédito à habitação é uma das maiores responsabilidades financeiras que as famílias enfrentam ao longo da vida, uma vez que envolve pagamentos mensais durante várias décadas.

Sem recorrer ao financiamento bancário, muitas famílias não conseguiriam realizar o sonho de ter a sua casa própria. Contudo, há vários fatores que os bancos valorizam para concederem o crédito. Vamos explorar alguns dos mais importantes para aumentar as suas hipóteses de aprovação.

  1. Estabilidade profissional e de rendimentos:

Os bancos avaliam criteriosamente a capacidade dos clientes para pagar o crédito a médio e longo prazo, considerando os montantes envolvidos numa operação de crédito à habitação. Assim, ter um vínculo laboral estável, como um contrato sem termo, ou demonstrar rendimentos previsíveis, especialmente para trabalhadores independentes, pode ter um peso favorável na análise do seu pedido de crédito.

  1. Mapa de responsabilidades de crédito “limpo”:

Uma das primeiras etapas na avaliação do pedido de crédito é a consulta ao mapa de responsabilidades de crédito do cliente, emitido pelo Banco de Portugal. Este documento permite aos bancos verificar detalhadamente as informações sobre créditos anteriores e em curso, bem como eventuais incumprimentos. Ter um bom histórico de crédito pode aumentar as suas chances de aprovação.

  1. Ter poupanças para a entrada:

Quando solicita um crédito à habitação, é necessário ter em conta que o banco normalmente não financia a totalidade do preço da casa. É aconselhável ter entre 15% a 20% do valor total da casa como poupança para a entrada. Além disso, há outras despesas associadas à compra da casa, como impostos e comissões, que deve considerar ao pedir o empréstimo.

  1. Relação entre o valor do empréstimo e o valor do imóvel (LTV):

Os bancos também analisam a relação entre o valor do empréstimo e o valor do imóvel, conhecida como Loan-to-Value (LTV). Quanto menor for o LTV, ou seja, quanto maior for o montante que consegue pagar inicialmente, maior será a probabilidade de obter aprovação do crédito.

  1. Apresentar garantias adicionais:

Apresentar garantias sólidas pode ser um fator positivo na decisão do banco. Garantias como fiadores ou outras propriedades podem aumentar a sua credibilidade aos olhos da instituição financeira.

  1. Taxa de esforço:

A taxa de esforço é outro fator importante na análise do pedido de crédito. Esta taxa refere-se à percentagem dos seus rendimentos que será usada para pagar as prestações do crédito. Ter uma taxa de esforço equilibrada, que não ultrapasse os limites aceitáveis pelos bancos, é fundamental para facilitar a aprovação.

É importante referir que, em tempos de subida das taxas de juro e aumento do custo de vida, é normal que os bancos se tornem mais cautelosos na concessão de créditos à habitação. Portanto, assegurar que cumpre estes fatores pode ser decisivo para obter o financiamento necessário para concretizar o sonho da sua casa própria.

Share